O CERTO É ADESTRAMENTO OU AMESTRAMENTO DE CÃES ?

Brincar é Arte Educar faz parte, Comportamento Canino

Linguisticamente, as duas palavras têm o mesmo significado, são sinônimos.

Adestrar vem do latim “addextráre” e significa “ensinar, tornar hábil”.

Amestrar vem de mestre, e quer dizer “instruir, ensinar a desenvolver certas habilidades, treinar”. Portanto é certo dizer tanto adestramento como amestramento, se bem que amestramento, por vir de mestre, é uma palavra mais simpática.

Há quem não goste da palavra adestrar, por a entenderem em outro sentido, no sentido de domesticar animais selvagens, como em circos, uma comparação infundada, pois não se adestra um cão com um chicote na mão.

É correto e também podemos dizer treinamento ou mesmo condicionamento de cães, se bem que condicionar, apesar de ser uma expressão correta, pois condicionamos o cão quando o amestramos, é pouco usual.

O profissional que treina cães pode ser chamado de amestrador, adestrador ou treinador de cães “Personal Dog”.

QUANDO DEVO COMEÇAR O AMESTRAMENTO DE MEU CÃO?

O mais cedo possível. Não existe idade mínima nem máxima para isso. Quanto mais tarde você iniciar o amestramento, mais vícios de comportamento seu cão pode ter desenvolvido.

Comece o amestramento assim que adotar e receber seu cão. O ideal é que ele já entre em sua casa sendo amestrado, independentemente da idade. É claro que as medidas de amestramento têm que ser adequadas à idade do animal, pois, por exemplo, de nada adiantaria jogar uma bola para um filhote de 3 meses buscar e trazer de volta, já que um cão nessa idade ainda está descobrindo um mundo e estará muito distraído com tanta novidade que ele provavelmente não entenderá o que você quer dele.

Mas comece desde cedo esclarecendo a questão da hierarquia, que é à base do amestramento de qualquer cão.

QUANTO TEMPO DURA O AMESTRAMENTO DE UM CÃO?

Com a maior sinceridade: uma vida inteira. Não acredite se alguém lhe disser que seu cão pode ser amestrado em alguns dias, semanas ou meses. Um cão aprende o tempo todo, sua vida toda.

Mesmo aquilo que já foi ensinado, tem que ser repetido, reciclado, pois cão também irá questionar sua autoridade de vez em quando, algo que acontece principalmente em certas fases de sua vida, como na puberdade.

É preciso ter disciplina. Não adianta ensinar uma coisa ao cão, mas relaxar com o tempo. Um exemplo: você ensina ao cão que ele não deve subir no sofá. Ele primeiro respeita. Depois de um tempo, ele tenta subir, mas você, por comodismo ou por qualquer outro motivo, deixa. Para seu cachorro, o primeiro ensinamento (de não subir no sofá) perderá o valor e você poderá começar novamente do zero.

No amestramento básico de um cão ele aprende os comandos básicos, é socializado e estabelece uma relação com o dono e com os demais membros da família.

Nessa fase, seu animal aprende a lhe conhecer e você aprende a conhecê-lo. Um dono atento observa sempre o comportamento de seu cachorro, mas tem cuidado para não interpretar comportamentos caninos como se fossem humanos. Ele tenta conhecer seu animal e (acredite!) também aprende muito dele.

É importante seu cão aprender nessa fase a lhe aceitar como líder da matilha, escutar seus comandos, reconhecer seu lugar na hierarquia dentro da família, etc..

O amestramento básico dura, em média, a depender da raça e do caráter do animal, entre 08 meses e 1 ano (e alguns precisam até mais ou menos do que isso). Mas nunca esqueça: mesmo depois desse tempo, o amestramento continua todo o tempo.

Mas não se preocupe: com o passar do tempo e na medida em que o cão vai ficando adulto, o trabalho vai diminuindo, caso você aja consiga da lide da forma certa com seu cão e consiga ser um bom líder.

Dica: quanto mais você investir no início, menos trabalho você terá mais tarde.

 

QUALQUER PESSOA PODE AMESTRAR OU É PRECISO DE UM TREINADOR PROFISSIONAL?

Na realidade, isso depende da experiência com cães e do nível de informação sobre eles.

Se não tem experiência alguma, pratique a posse responsável e procure ajuda pelo menos no início.

A ajuda de um profissional faz sentido na fase do amestramento básico ou em distúrbio comportamental, quando o dono deveria aprender a essência para depois dar continuidade ele mesmo ao amestramento, pois o objetivo de qualquer treinador de cães deveria ser o de ensinar ao dono a lidar bem com seu próprio cão, de forma autárquica, sem ter que ficar recorrendo à ajuda de profissionais.

Mais de 90% dos distúrbios comportamentais de um cão tem sua causa no dono, na sua forma de lidar com o canino, que, por melhor que sejam as intenções, termina fazendo mal ao cão.

Geralmente não é a falta de conhecimento do dono, e sim a interpretação errônea sobre seu animal e sua postura errada que causam diversos distúrbios comportamentais.

Dentro do saldo de 10%, aproximadamente 2% são distúrbios relacionados a questões não pertinentes ao tutor.

Os cães necessitam de liderança, seguem seu líder com satisfação, mas eles só querem saber uma coisa antes: quem é o chefe? Para um cão, que é muito social e vê sua matilha (para ele, a família da casa onde vive) como algo indispensável para sobreviver.

A genética do cão é programada para viver em grupo. E para o cão, o grupo só pode funcionar se tiver um líder. Se você não assumir essa liderança, ele fará isso por você.

Um bom treinador faz exatamente isso: ensina ao dono a ser líder de seu cão e o que isso significa.

Independente do amestramento básico pode ocorrer situações mais complexas na vida do cão, de desvio de comportamento, que exijam a ajuda de um profissional (traumas, mudança brusca na vida do cão, como uma troca de dono, falecimento de uma pessoa há quem ele muito apegado ou nascimento de uma criança, por exemplo).

Em casos assim, alguns cães podem precisar de um acompanhamento profissional, mas o que o seu cão acima de tudo precisa em qualquer fase difícil é de você, como líder.

Mas se você perceber que não dá conta, não aventure, consulte um profissional ou uma pessoa mais experiente. Mas tenha cuidado: quando se trata de cachorro, há muita gente por aí dizendo que entende do assunto, hoje em dia anda chovendo especialistas, mas nem sempre são pessoas realmente competentes.

Ao procurar um treinador, peça referências, se informe sobre ele e observe bem como ele lida com cães.

Treinadores profissionais, que realmente entendem do assunto, têm uma autoridade natural e são respeitados pelos animais, eles são calmos, não gritam com os bichos, trabalham com o reforço positivo e JAMAIS usam de violência.

Observação: não se esqueça de que um bom treinador não treina o cão, mas sim o dono, pois de nada adianta ensinar algo ao cão, ir embora e deixar o dono então sozinho com o problema, que persistirá.

 

POSSO ENSINAR TRUQUES A MEU CÃO?

Depende. Se você quer ensinar truques úteis, que façam sentido, tudo bem, truques que sejam divertidos para o cão também.

Mas não ensine truques desagradáveis para o cão só para seu divertimento ou para o divertimento de outras pessoas. É uma questão de respeito. Seu cão é um animal de estimação e não de circo.

 

TENTO AMESTRAR MEU CÃO, MAS ELE NÃO OBEDECE. O QUE FAZER?

Para que o amestramento de seu cão funcione, é necessário que você, em primeiro lugar, esclareça a questão da hierarquia.

Isso é à base do amestramento de qualquer cão. Se seu cão não obedece, esse seria o primeiro ponto a esclarecer. Além disso, observe alguns outros pontos que ajudam a facilitar o amestramento:

Ao treinar alguma coisa com seu cão, cuide para ficar só com ele, evitando que outras pessoas ou outros cães estejam próximos e também qualquer outra coisa que possa distrair o cão. Um cão distraído tem dificuldades de se concentrar e entender o que você quer dele.

Use reforço positivo como carinho para incentivar e recompensar o cão. Mas não exagere.

Antes de treinar, faça exercícios e brinque com o cão, cuide para que ele corra, gastando um pouco da energia. Isso fará com que ele fique mais calmo e possa se concentrar melhor na hora do treinamento.

Mas não exagere, pois um cão cansado também tem dificuldade de se concentrar. Faça-o gastar somente a energia em excesso.

 

EXISTE RAÇA QUE NÃO APRENDE?

Não, qualquer raça pode ser amestrada. O que existe é diferença de características, que fazem com que sejam necessárias medidas diferentes, específicas para cada raça.

Há raças com maior tendência à dominância que outras e raças que são mais fáceis de motivar.

Portanto, é importante conhecer bem seu cão, as peculiaridades da raça (ou das raças, no caso de SRD) e a forma correta de motivá-lo.

 

EM QUAL IDIOMA SE DEVE AMESTRAR MEU CÃO?

Alguns treinadores defendem a teoria de que cães devem ser amestrados em inglês, mas isso não é verdade.

Na verdade, o cão pode ser amestrado em qualquer idioma. A linguagem corporal do dono é mais importante do que qualquer palavra falada.

Os comandos você pode dar em português, inglês, alemão, tupi, iorubá ou em qualquer língua. É importante que os comandos sejam sempre os mesmos e que você escolha palavras curtas, que facilitam o entendimento.

Há treinadores que praticamente não falam com os cães durante o amestramento, preferindo usar a linguagem corporal e ruídos como “Psssssst!”, assovios e outros sons com frequência mais alta que a da voz humana (cães escutam sons de frequência alta ainda melhor!).

 

Sobre o autor do blog:

🐾 Atendimento sempre que precisar ausentar-se por horas, dias, férias, viagens ou compromissos.

Agende sua #Visita #hoje mesmo pro #cãoforto da sua matilha!
#Wpp 📲 11 9 9277-8700, Seg. à Sexta, ⌚ 8h às 20h.
📧 dogwalkercastro@gmail.com
🐾 Brincar é arte, passear faz parte! 🐾

 

Anúncios

Como manipular um cachorro com dor?

Ciência e Medicina, Comportamento Canino, Dog Walker, Medicina Veterinária

Os cães, assim como as outras espécies animais, quando possuem quaisquer desconfortos, tanto físicos quanto psicológicos, tendem a responder à aproximação de forma agressiva.

Muitas pessoas, quando vêem cães precisando de ajuda na rua, sentem vontade de ajudar dando uma assistência devida para o pet. No entanto, muitos têm medo de aproximar-se do animal, temendo ser mordido. Os cães, assim como as outras espécies animais, quando possuem quaisquer desconfortos, tanto físicos quanto psicológicos, tendem a responder à aproximação de forma agressiva. É importante enfatizar que isso não é uma regra a ser seguida. Alguns animais não respondem violentamente, devido à índole ou a condições de saúde crítica no momento da abordagem, porém a pessoa que for aproximar-se, deve tomar alguns cuidados para que não ocorra nenhum tipo de acidente.

Os cães, ao contrário de outras espécies, possuem como defesa praticamente uma única “arma”: os seus dentes. Quando o animal domiciliado, ou mesmo de rua precisar, de socorro médico imediato, é importante que ao se aproximar do animal, não se tente logo entrar em contato físico com o cão. É importante que se observe, à distância, se há alguma lesão aparente no corpo do animal, como feridas, fraturas externas, entre outras.

Os principais fatores que mais causam dor nos cães são:

Fraturas ósseas, rompimento de tendões, luxações, dores abdominais e etc. Antes de entrar em contato físico com o animal, o tutor ou a pessoa que for resgatar deve improvisar algum tipo de transporte para que o animal seja encaminhado para a clínica veterinária. Um tampo de madeira ou um lençol podem ser usados para improvisar uma maca, de modo que o seu corpo fique nivelado. Jamais suspenda o animal de forma desigual, pois isso pode ocasionar uma piora do quadro clínico.

O próximo, e mais importante passo, é a colocação da focinheira, para que não ocorra nenhum tipo de acidente. É nesse momento, quando a pessoa irá tentar aproximar-se do animal, a ocasião certa para perceber a reação do pet. Mesmo o animal não esboçando agressividade, é importante que a focinheira seja colocada. A colocação é bastante simples e deve ser feita de forma rápida e precisa. O tutor vai para trás do animal segurando nos dois pontos de amarração da focinheira, em seguida faz a colocação rápida e prende de forma segura. Em alguns modelos pode-se utilizar um nó. Quando não existe uma focinheira próxima, pode-se improvisar a amarração com cadarço de sapato ou tira de pano.

Depois de ter feito todas as etapas de segurança, deve-se aproximar o lençol ou o tampo de madeira, e com a ajuda de outra pessoa, faz-se a colocação do animal em cima da maca improvisada. É indicado que uma pessoa segure lateralmente no tórax e na cabeça e a outra pessoa no quadril. Caso o animal sinalize dor, deve-se procurar um local que não o incomode. O movimento de suspensão deve ser feito simultaneamente, de forma sincronizada.

Caso a pessoa que for resgatar, ou o tutor do animal, tiver acesso a uma luva de procedimento, deve calçá-la antes de manipular o animal. Essa prática é importante que seja feita tanto em animais de casa quanto de rua, pois ninguém sabe da moléstia que o animal apresenta no momento. Existem doenças que são classificadas como Zoonoses, e podem ser transmitidas para os seres humanos.

‪#‎DogInformação‬  ‪#‎ComoManipularDogcomDor‬ ‪#‎ManuseioCanino‬ ‪#‎ManuseioAdequado#‎Pet‬ ‪#‎Dog‬ ‪#‎Socorro‬ ‪#‎dogwalkercastrozn‬ #manipularumcachorrocomdor

Fonte: http://portaldodog.com.br/cachorros/saude/como-manipular-um-cachorro-com-dor/

 

Sobre o autor do blog:

🐾 Atendimento sempre que precisar ausentar-se por horas, dias, férias, viagens ou compromissos.

Agende sua #Visita #hoje mesmo pro #cãoforto da sua matilha!
#Wpp 📲 11 9 9277-8700, Seg. à Sexta, ⌚ 8h às 20h.
📧 dogwalkercastro@gmail.com
🐾 Brincar é arte, passear faz parte! 🐾